23 de abr de 2009

O Sonho do Menino...

Invasão Por John Doe trazendo um desafio de um caderno de rabiscos incoerentes para uma dentre as personalidades "Das Minhas Personalidades" de Luna(Esta que começa no mundo dos Blogs com a dificil missão de acompanhar as mentes perturbadas de John Doe e Jean). Bem o desafio em questão foi escrever um texto a 3 mãos, onde cada um daria continuidade de onde o anterior parou, neste caso a primeira parte foi feita pelo Grande Jean Carlos, a Segundo pela Nossa Nova Amiga Luna em seu Das Minhas Pesonalidades e a terceira Por mim em meu Caderno de Rabiscos.

Sendo assim sem mais delongas:

A sorte de um menino lançada ao vento rejeitado pela morte que leçvou seus pais, Inspirado pela palavra de seus pais que sempre disseram para seguir seus sonhos, a idade e a inocencia lhe deram a perceverança de nunca acreditar que algo seria impossivel.

Então, o menino, saiu dos destroços do carro e seguiu a lua e as estrelas a um caminho desconhecido.

Após uma longa jornada se encontra em um vilarejo muitoi bonito repleto de jardins e edificios antigos morando com alguns conhecidos. Testando suas habilidades pois nunca iria desistir de seu maior sonho, tocar piano.

Quando pequeno seus pais o ensinaram a amar orquestras, operas, e toda boa cultura que um lorde poderia dar ao seu filho, John correu intensamente atrás de um home que seu pai lhe apresentaria no dia que morrera, ele era o maior pianista daquele pais.

Caminhando sem rumo pelas ruas da cidade recebeu um convite, dizendo que ocorreria um concerto onde os maiores pianistas iriam se encontrar.

A Musica já fluia em suas veias, que não mais pulsavam o sangue, mas sim notas harmoniosas que somente ele podia sentir e seu coração se alimentava dessa musica que o conduzia por um caminho traçado a ele desde o nascimento, um caminho que o mundo o tentou tirar, lançando lagrimas que nublavam seus olhos, num mundo ditado pela musica de seu coração.

Seguiu as notas, das mais altas as mais baixas, venceu as ironias da vida, sabia que tudo que vivera até ali o prepara para este unico momento, e quando a noite chegou, lá estava ele o menino, o homem, o Pianista, e por mais que quizesse dizer em palavras o que sentia, a noite se foi e nenhum palavra saira de sua boca.

Foram as horas, ele ouvia as vozes do desespero de milhares de pessoas que numa mesma sala destilavam banalidades de suas vidas onde a musica jazia esquecida num canto qualquer, ele lembrou da musica ele sabia que mesmo que não pudesse falar, ainda assim a musica estaria lá pra ele, e assim como sempre foi, ele sentou ao piano e deixou seu coração falar mais uma vez, mesmo que pela ultima vez, como se fosse a primeira vez...

Nenhum comentário:

Postar um comentário