30 de jun de 2009

Very Happy

Sabe-se que todos anseiam encontrar amor, mas acho que perco o meu a cada dia, ao levantar dos primeiros raios de sol depois de mais uma noite mal dormida vejo meus sentimentos escorrerem por meus dedos e formar uma pequena poça de sangue em minha frente. Tento a todo custo descobrir quem é esta pessoa que encaro todos os dias enfrente ao espelho, mas só vejo um olhar vazio e triste que não diz absolutamente nada. Como dizer a todos que não os amo, que nada faz sentido que a morte continua aqui do meu lado sorrindo-me bruscamente esperando minha desistência, como dar motivação a dias como este? Já cheguei a acreditar bobamente que isso não iria se repetir, mas o amor continua sendo uma brincadeira de mau gosto. E meus sentimentos continuam sendo essa porcaria de sangue que insiste em correr por entre minhas veias. É mais doloroso confessar isso aqui do que admitir a mim mesma que estou desistindo disso tudo. Não há ninguém que consiga me entender, ou venha me ajudar e acho que já estou no limite de lutar a sós, de lutar incessantemente com meus fantasmas internos. Temos que saber a hora certa de parar, de admitir que não valemos mais a pena, de sermos mais um humano vagando por caminhos desconhecidos que não levam a lugar nenhum. Não á sobreviventes nesse caminho, não á compaixão com os que são aliados da morte e as vezes isso até se torna confortante a real magnitude de confessarmos estarmos terrivelmente sós. Será que vocês não percebem que vejo vocês a cada lagrima que derramo, vocês estão ali para se deliciar com minha dor para rir de mim, um ser misero e imprestável, mas deve ser divertido pra vocês rir com a humilhação dos outros. Então... finjamos ser felizes, vamos nos apegar a coisas fúteis e sem nexo, vamos colocar nossas antigas máscaras e colocar um sorriso tosco na cara...
Vamos... Sejam Felizes... Sorriam!

3 comentários:

  1. gostei muito crônica, revela literalmente uma pessoa que sou, caminhando em caminhos que não levam a lugar nenhum, algo que faço várias vezes

    ResponderExcluir
  2. A felicidade quando é fingida se torna um duro fardo, carregalo fas de todos nós tolos ou meros burros de carga...

    Não quero mais mascaras...

    ResponderExcluir
  3. Sempre vem a calmaria antes da tempestade! Este caminho num é 100% livre de duvidas ou sentimentos contrários, o mal sempre nos rodeia independente de quão fortes nós sejamos, o certo é não se desviar os olhares pois no fim vai valer a pena e dentro de alguns meses ou anos, vc vai ver o trabalho valer a pena, mas a duvida rodeia muita gente q está bem acima de nós! E Graças a Deus eu numca precisei de mascaras!

    ResponderExcluir